sexta-feira, 8 de fevereiro de 2013

CLARO, RECOMEÇAR... SEMPRE



A vida é uma jornada. Nunca um destino. Nessas jornadas e em busca de certos destinos, sempre haverá retomadas, recomeços.
Talvez, nos hiatos da vida, seja difícil para o ser humano recomeçar. Ir em busca de seus sonhos – outra vez. Recomeço nem sempre é sinal de fracasso, mas constatação de ter lutado, ido em busca de ideais. De sonhos.
A cada novo amanhecer, recomeçamos. Reiniciamos tudo, recomeçamos a vida em cada aurora, a cada nascer do sol. Todos os dias, pela manhã, com chuva, sol, ou nublado, enchemos os coração de esperança e fé, e vamos à luta. Todos os dias.
Não importa como ou onde esteja o coração, necessariamente vamos ao campo de lutas, na batalha diária pela sobrevivência e dignidade. Pela subsistência, manutenção da família, em defesa da honra, das  obrigações de homem, de pai, de  cidadão.
 E como andam os corações? Na correria do dia-a-dia, na loucura do transito, nos intervalos entre um negocio e outro, há espaço para lembrar-se do coração?
Coração pleno? Cheio? Ou, apenas mais um coração no canto, esquecido, incrustado nos recônditos da alma, com seus pesares, seus sofreres, seus sonhos... Impossíveis – ou não. Sonhar faz parte da vida, desejar ser feliz é meta de todos, porém, poucos, poucos alcançam isso.
Ser feliz... Ser feliz... Utopia?   Existe mesmo isso de ser feliz? E o que é ser feliz? Sucesso, realização profissional, obter bens materiais, esta é a essência de ser feliz? Amar e ser amado, viver, plena e satisfatoriamente... É felicidade?
 Talvez nem todos percebam que são, ou se são, não se sentem felizes. Pois almejam cada vez mais aquilo que pensam conseguir e ainda não conseguiram. Querem cada vez mais... cada vez mais.
Estou recomeçando. Reiniciando. Em busca de sonhos ainda não alcançados, esperanças ainda vivas e presentes. Batalhas por vir.  Por vencer.
Penso que  realmente a vida não é um destino, pois aceitá-la como destino, é entender simplesmente que não há mais nada por  lutar, por tentar, por conseguir. Afinal, é destino que as coisas sejam dessa forma. E não é. Somos sempre capazes de, se não mudar o curso de um rio, ao menos revolver e revoltar suas águas. Torná-las favoráveis.
A vida é uma jornada. E essa jornada, inclui recomeços. “Seja como for, recomeçar... nada há, mas há de vir...”.
Há de vir. Como resultado de muita luta, fé, força e trabalho. Claro, recomeçar... Sempre.

2 comentários:

  1. É uma felicidade ler seus textos, amigo!

    ResponderExcluir
  2. Às vezes, recomeçar é exatamente o que uma pessoa precisa. E acho que é algo admirável. Muitas pessoas não têm a coragem necessária para fazer algo assim. Paulo Parabéns meu amigo, como a professora Vera falou é uma felicidade ler seus textos, vc sempre supera as expectativas! Grande abraço

    ResponderExcluir