sexta-feira, 11 de outubro de 2013

TANGENDO A BOIADA DA SAUDADE




A voz vibrante do apresentador, postado no altar da comunicação da Radio Brasil Central de Goiânia, destaca-se dentro do estúdio-auditório, de cadeiras azuis e confortáveis. É o inicio de um programa que há anos e anos está no ar, e mantém a tradição da boa comunicação do rádio, como nos velhos e bons tempos. Tempo em que o radio era o principal meio de comunicação e de diversão das pessoas. É o Goiás Caboclo, comandado pelo cidadão de Cumari, metrópole do Sul de Goiás, Jason Abrão. E Jason é um apaixonado pela terra natal, canta e decanta seu amor pela aldeia onde nasceu.
As primeiras canções que são apresentadas dão o tom do que será o programa desse domingo. São canções com o cheiro e o gosto de saudade, de terra molhada na roça, tradições tão caras ao povo brasileiro.
O Goiás Caboclo, cuja programação musical é composta por musicas do estilo sertanejo raiz, faz jus ao verdadeiro fim que deve ser o rádio: diversão, opinativo e serviço de utilidade pública.
Logo nos primeiros momentos do programa, um anúncio solicitado por um ouvinte chama a atenção: “Atenção Fazenda Remanso, no município de Pilões, Piaui. Joao de Siá Marina pede para o compadre Pedro levar os cavalos até a venda do Manezinho, que ele chega no sábado. Quem ouvir, favor comunicar”. Retratos de um Brasil que se vê e percebe apenas no programa Goiás Caboclo, onde o radio ainda é o grande meio de comunicação à distancia. Mesmo em tempo de modernidades e internet dominando, os recados através rádio ainda são imprescindíveis e eficientes.
E quando o ouvinte telefona e solicita uma canção é atendido rapidamente. Em poucos instantes, a canção pedida é tocada. Essa interação mostra a atenção e o carinho  demonstrados por Jason Abrão e equipe com seu público.
Generoso, Jason Abrão dá espaço a artistas que querem mostrar seu trabalho musical e são ainda desconhecidos do grande publico. Dá atenção e espaço, sem exigir nada por isso. Excelente oportunidade para que mostrem o trabalho, sempre fruto de muito sacrifício e batalha. Normalmente, na famosa “dose dupla de saudade” momento maior do programa, que acontece a cada hora.
E o Goiás Caboclo, tem seus personagens, pessoas que de uma maneira ou de outra passaram pelo programa, pela emissora ou por Jason Abrão. São citados em todos os programas, e que compõem um “cast”, que interage sempre. Casos como o famoso Rubão Cabaré, e sua esposa Olga, a quem Jason, não se sabe o motivo, chama de “coitada”. Rubão, pessoa alegre e de bem com a vida, sempre comparece ao programa.
Chegada a hora de ir embora, o programa perto do fim, e me vem aquela ponta de saudade. Jason Abrão com sua comunicação me leva aos tempos de criança, na distante Fazenda Nova América, onde o radio era a principal atração, e ocupava luar de destaque na pequena e humilde sala. Era, ao lado do violão tocado por meu pai, a diversão que proporcionava momentos de enlevo e alegria.
Saio do estúdio com o coração apertado. Na visita ao Goiás Caboclo reencontrei canções, alegria e o abraço caloroso de amigos verdadeiros.
Obrigado Jason Abrão. Obrigado por não deixar que morram as tradições e as boas canções. Precisamos de você, é importante que as novas gerações que saibam como é e o quanto foi importante o radio na vida das pessoas do Brasil, quase sempre, distante e longínquo.
Prometo que logo nos reencontraremos a qualquer dia, a qualquer hora, no Bar do Zé Américo, na querida Vila Nova, em Goiânia e trocaremos dois dedos de prosa, à moda goiana.

E continuaremos assim, sob seu comando, a tanger a boiada da saudade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário